Lexis 360º

Áreas: ,
Autores: ,

Postado em: 08/06/2018

M&A por setor: Empresas familiares

Fonte: Lexis360

M&A por setor: Empresas familiares

Muitas vezes o investidor opta por adquirir uma empresa familiar porque valoriza a cultura da empresa, a qual é diretamente vinculada, em larga escala, à atuação dos membros da família e decorre diretamente da habilidade desses membros de direcionar a atuação da empresa com dedicação e sucesso.

A experiência da família na condução dos negócios e seus relacionamentos com colaboradores, fornecedores e clientes costumam ser insubstituíveis e constituem um dos fatores que originam e sustentam os bons resultados dessas empresas.

Leia mais aqui.

M&A de Empresas familiares

Os negócios familiares são parte relevante da economia mundial, mas as operações de fusões e aquisições envolvendo empresas controladas por famílias trazem desafios únicos. Enquanto algumas famílias têm a expectativa de passar os negócios para as gerações vindouras, outras decidem, por diversas razões, vender seus negócios a terceiros. Os autores clássicos de direito societário e boa parte de seus discípulos costumam afirmar que companhias modernas, com administradores profissionais e separação entre propriedade e gestão, são mais competitivas e inovadoras do que as empresas familiares.

Leia mais aqui.

Como evitar e gerenciar conflitos

Há diversos instrumentos jurídicos que podem ser utilizados para evitar e, se for o caso, gerenciar os conflitos entre os sócios da empresa familiar, tais como:

  • a constituição de sociedade holding para deter participação direta nas empresas operacionais e, ainda, atuar como um family office em benefício de seus acionistas;
  • a celebração de acordos de acionistas entre os familiares; e
  • a elaboração e a implementação de planejamentos sucessórios.

Leia mais aqui.

Venda parcial x venda total

Uma vez que tenha havido consenso entre os sócios da empresa familiar quanto à chegada do momento de vendê-la, convém que referidos sócios, paralelamente a toda a preparação recomendada nos itens anteriores, tomem a decisão a respeito da melhor estrutura para a alienação: se integral ou parcial. E ainda, caso optem pela alienação parcial, devem decidir se oferecerão à venda a participação societária controladora ou minoritária.

Antes de avaliar o apetite do mercado para decidir sobre qual percentual da empresa será alienado, os sócios da empresa familiar devem fazer uma autoanálise e considerar fatores intrínsecos à empresa e a eles próprios para, então, optar pela melhor alternativa de alienação.

Leia mais aqui.

Como agregar valor à target?

As operações de M&A que têm como alvo a aquisição de empresas de controle familiar são muito particulares, pois não é raro que a vida societária dessas empresas seja permeada por conflitos que ultrapassam os limites das pessoas jurídicas, seja por envolverem questões emocionais, seja por inexistir separação formal entre as atividades das empresas e as atividades da família.

Também é comum que tais empresas sejam administradas com uma informalidade maior do que aquelas com outras estruturas de controle, haja vista que nem sempre há profissionalização e, principalmente, porque não há terceiros fora da família a quem essas empresas devam prestar contas.

Leia mais aqui.

Etapas para a venda

As famílias empresárias, normalmente, dedicam-se a apenas um único negócio e, até que resolvam vendê-lo, não têm qualquer experiência com operações de M&A ou com todos os rituais e procedimentos que devem ser observados até que se chegue a um final feliz para todas as partes.

Essa falta de experiência faz com que muitos vendedores sejam surpreendidos com as exigências formuladas pelos compradores, com a avaliação que estes fazem do negócio e com os resultados apresentados ao final do processo de auditoria.

Leia mais aqui.